FPM_Viagem para Suíça

Em Outubro de 2016, eu, Bete Freitas, fui com uns amigos para Suíça e praticamente choveu o tempo todo, o que, claro, atrapalhou bastante os nossos passeios! Na volta, decidi que um dia voltaria para poder ver e rever tudo. De tanto eu falar sobre a Suíça acabei despertando  na outra Freitas, a Roberta, o desejo de ir para lá. Férias à vista, então vamos planejar a viagem para Suíça! FPM_Viagem para Suíça

Um pouco sobre a Suíça

Ah a Suíça..  quem nunca ouviu falar dos Alpes Suíços, dos  seus chocolates, dos queijos, dos relógios, dos canivetes e dos tão falados bancos suíços! O país também é sede de muitas organizações internacionais entre elas a Cruz Vermelha, o segundo maior escritório da ONU, o COI e a FIFA.  A Suíça é considerada um dos países mais ricos do mundo e as cidades de Zurique e Genebra estão entre as primeiras do ranking em qualidade de vida. A capital da Suíça fica na cidade de Bern. O país não possui um presidente, ele é dividido em 26 estados chamados de “cantões”e cada um deles é independente. Os cantões são como se fossem estados e se reúnem quando precisam decidir algo que deverá ser adotado por todos. Na Suíça são falados quatro idiomas: alemão, francês, italiano e o dialeto Romanche, que é uma  mistura alemão e italiano. A maioria das suas cidades é rodeada pelos Alpes, o que nos proporciona paisagens lindíssimas e que mudam de acordo com as estações do ano, que lá são bem definidas. A moeda local é o Franco Suíço (CHF). Apesar de não ser um país muito grande, tem muita coisa para ser vista e é preciso eleger as prioridades, resumindo: é muita Suíça para pouco tempo!

Informações Práticas

Curta nossa página no Facebook!

Chip para o telefone: compramos um chip pré-pago no aeroporto de Zurique, nossa primeira cidade na Suíca, na operadora Swisscom. Pagamos 19,90 CHF, que nos dava direito a 20 CHF de crédito. Por dia de utilização de internet eles cobravam 2CHF. Então foi só calcular quantos dias íamos precisar e fizemos logo uma recarga na loja, achamos mais prático pois o próprio atendente já efetuou tudo para nós!

SwissTravel Pass – Achamos que valeu super à pena comprar o passe de trem. O passe dá direito a andar em todos os trens, transportes locais, subida em algumas montanhas e desconto nas entradas dos teleféricos nas montanhas e ainda entrada em alguns museus. Existem várias opções e na própria loja a atendente nos deu todas as informações. Um detalhe importante é que ele é pessoal, portanto precisa do passaporte original para comprar e para entrar nos trens entre as cidades. Nos transportes locais nós usávamos a cópia do passaporte. Nós compramos o passe de 15 dias consecutivos na segunda classe e custou 485 CHF.

O que visitar na Suíça?

Vamos relacionar alguns destaques da Suíça que merecem ser vistos, porém tivemos que escolher somente alguns, pois era muita Suíça para o pouco tempo que tínhamos!

Três cidades alemãs: Zurique, Lucerna e Berna, que é a capital da Suíça

FPM_viagem para suíça
Zurique
FPM_Viagem para Suíça
Lucerna

Três cidades francesas: Genebra, Montreux e Lausanne

FPM_Viagem para Suíça
Genebra
FPM_Viagem para Suíça
Montreux

Três cidade Italianas: Bellinzona (capital do cantão Ticino), Locarno e Lugano

FPM_Viagem para Suíça
Lugano

Vilarejos Alpinos: Interlaken, Grindelwald, Lauterbrunnen, Zermatt (este é o monte que estampa a embalagem do chocolate Toblerone), Engelberg,  St Moritz , Gruyère, Emmenthal.

FPM_Viagem para Suíça
Grindelwald
FPM_Viagem para Suíça
Zermatt
FPM_Viagem para Suíça
Saint Moritz

Montes e Lagos: Stanserhorn (teleférico conversível imperdível); Monte Titlis (diversão o ano todo e para toda a família) e o lago Trübsee; Monte Rigi; Monte Pilatus; Jungfrau, Matterhorn. Lago de Lucerna, Lac Léman na parte francesa da Suíça e o Thun e Brienz na região de Interlaken.

FPM_Viagem para Suíça
Stanserhorn
FPM_Viagem para Suíça
Lac Léman

Outros lugares que merecem destaque

Os patrimônios da UNESCO:

A cidade de Berna, capital da Suíça, é linda;

FPM_Viagem para Suíça
Berna

Lavaux, uma região de vinícola entre Montreux e Lausanne;

Tectonic Arena Sardona, um exemplo excepcional de montanhas formado ao longo de séculos por colisão continental;

O convento de St Gallen, onde se encontra a mais antiga e rica biblioteca do mundo;

Os Castelos de Bellinzona, conjunto fortificado construído para proteger o Burgo de Bellinzona e que fica na região italiana da Suíça;

Rhine Falls, as cataratas do Reno, considerada a maior cachoeira da Europa, que fica na região perto de Zurique;

FPM_Viagem para Suíça
Rheine Falls

Rheinschlucht (Ruinaulta), o Grand Canyon da Suíça – o trem Glacier Express passa por ele;

Triftbrücke, uma ponte suspensa para pedestre considerada a mais longa e a mais perigosa – de trem a partir de Zurique a viagem leva 3:30 hr;

Ponte suspensa do Monte Titlis, considerada a mais alta do mundo;

FPM_Viagem para Suíça
Monte Titlis

Jungfraujoch – Topo da Europa, estação de trem mais alta do mundo a 3.471 m de altitude;

FPM_Viagem para Suíça
Jungfraujoch

Vila Wengen – vila charmosa nos Alpes, perto de Lauterbrunnen);

Lauterbrunnen, um vilarejo charmoso localizado entre vales;

FPM_Viagem para Suíça
Lauterbrunnen

Grindelwald, para viver a real experiência dos Alpes Suíços;

Gelmer bahn – o Gelmer  funicular é o mais inclinado com 106˚e leva ao lago Gelmer;

Montanha Rigi, a rainha das montanhas;

Pilatus Bahn, o trem cremalheira mais inclinado;

Peak Walk, única ponte suspensa que conecta dois picos de montanha e fica na vila Les diablerets;

Alpine Coaster – maior tobogã do mundo e fica em Gstaad

Trens na Suíca

O site oficial para consultar passes e horários de trens é o da SBB.  Como já falamos mais em cima, recomendamos comprar o Swiss pass, que é um passe de trem que dá livre acesso a qualquer trem dentro da Suíça por um período de tempo determinado. No site você encontra as opções disponíveis. Além da facilidade de poder andar entre as cidades, ele também nos dá direito ao transporte público local nas cidades, trens, barcos e ainda dá desconto para os teleféricos nas montanhas. Existem várias opções, nós compramos na estação de trem central em Zurich na loja da SBB e a atendente nos ajudou a escolher qual era o mais adequado.

Trens  panorâmicos:  O Glacier Express e o Bernina Express fazem rotas direcionadas para os turistas e os demais trens fazem rotas regulares entre as cidades e, em alguns horários, são oferecidos os vagões panorâmicos, que são os que possuem janelas maiores e normalmente pertencem à primeira classe – é necessário  fazer a reserva antecipada em todos os casos. Portanto é preciso antes de tudo verificar no site ou na própria loja da SSB os horários e preços. Para aqueles que optaram por comprar o Swiss Pass, se quiserem viajar no vagão panorâmico, é necessário pagar uma taxa de reserva de lugar e o acréscimo para a primeira classe.  Caso não tenha interesse em viajar no vagão panorâmico é só viajar nos outros vagões.

O Glacier Express faz a rota Zermatt – St Moritz. Este trem trafega apenas em alguns horários e o  trajeto é direto sem baldeação. Aqui o site oficial para ver os horários de funcionamento.

FPM_Viagem para Suíça
Glacier Express

O Bernina Express passa em uma ferrovia histórica tombada pela UNESCO e  vai de Locarno a St Moritz. Aqui o site com informações dos horários.

FPM_Viagem para Suíça
Bernina Express

O Wilhelm tel train Express ou Gotthard Panorama Express faz rota Lucerna/ Bellinzona/ Lugano e é combinado com um trecho que é feito de barco. O interessante é pegar a rota Lugano /Lucerna, pois assim teremos uma vista incrível da cidade de Lucerna ao chegarmos pelo lago! O trajeto todo leva 5 horas. O Gotthard Panorama Express possui horários diferentes de acordo com a estação do ano, você pode verificar no site as informações em português!

O Golden Pass Line faz o trajeto de Lucerna a Montreux. Somente na cidade de Zweisimmen os trens passam a ser panorâmicos, com os janelões grandes (alguns tem uns assentos VIP que ficam bem na frente)  e em alguns horários o Golden Pass Classic que é o trem vintage inspirado na belle époque. Os vagões pertenceram à Orient Express e acrescentam um charme a mais à viagem. O trem faz o trajeto Montreux-Zweisimmen e vice-versa, porém só opera nos horários a partir de Montreux às 8:47 e 13:35h e a partir de Zweisimmen 11:05 e 16:25. Deve ser uma experiência única viajar no tempo! O trajeto é dividido em 3: de Lucerna a Interlaken ost (trem normal); de Interlaken ost a Zweisimmen  (trem normal) e trens panorâmicos de Zweisimmen a Montreux. Aqui o site em português com as informações.

O Chocolate train é o trem que faz o trajeto Montreux-Broc. No meio tem uma parada em Gruyère para a visita à fábrica do queijo e depois continua até Broc-Fabrique, onde fica a fábrica de chocolate Nestlê. Aqui o site com mais informações.

Nosso roteiro

O nosso roteiro foi montado tomando como base os 12 dias que tínhamos:

Primeira base: Zurique, onde ficamos 3 noites. De Zurique fomos ao Monte Üetliberg e Rhine Falls

Segunda base: Lucerne, onde ficamos por 6 noites por ser a cidade onde encontramos a hospedagem mais barata. Dela fizemos alguns bate e volta: Mount Titlis (Engelberg), Stanserhorn, Mount Pilatus, Mount Rigi /Vitznau/Weggis, Jungfrau, Bern, Grindelwald e Interlaken, Lugano

Última base: 3 noites em Geneva. De lá fomos a Montreux, Lausanne e Mont–Salève.

Em 2019, voltamos à Europa e aproveitarmos para ficar 3 dias na Suíça, para fazermos o Bernina e o Glacier Express. Fantásticos os dois! E fomo ainda a Chamonix, onde fica o Mont Blanc.

Os detalhes de cada cidade vêm nos próximos posts!

 

 

 

 

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.